Seguidores

Mostrando postagens com marcador MANDALA. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador MANDALA. Mostrar todas as postagens

4 de novembro de 2013

INFORMAÇÃO - INTRODUÇÃO DE COMO CRIAR UMA MANDALA

INTRODUÇÃO DE COMO CRIAR UMA MANDALA

Josana Camilo
josana@oficinadaalma.com.br


Cada pessoa vê, sente e as avalia cores, formas e símbolos de maneira muito particular. Uma cor agradável para uma pode ser desagradável para outra e uma mesma forma ou símbolo, mesmo evocando idéias e sentimentos semelhantes para uma maioria, também acaba por despertar idéias e sentimentos muito pessoais. Portanto, criar uma mandala é, antes de tudo, um exercício de sensibilidade. Não há uma receita específica e não importa quão vasto seja o conhecimento dos significados de cores, formas e símbolos; sem a sensibilidade não há como selecionar os melhores ingredientes (entre tantos) e suas adequadas proporções.Partindo deste princípio, a proposta desta apostila é oferecer algumas informações e sugestões para que você possa exercitar-se e criar suas próprias mandalas. O toque mágico fica ao encargo da sua sensibilidade.

O QUÉ MANDALA


Mandala (substantivo masculino) é uma palavra em sânscrito e significa círculo. Transformou-se em "círculo sagrado" através da arte religiosa oriental (Hinduísmo e Budismo) que o investiu de significação simbólica e poder mágico e espiritual.
As mandalas orientais são confeccionadas de forma ritualística e tem como elementos imagens representativas das forças criadoras do universo. No Budismo Tibetano os monges utilizam técnicas para sua construção que envolvem desde a memorização de textos, cálculos e proporções até a organização de seus elementos.
Embora na arte pictórica e arquitetônica ocidental exista, desde há muito tempo, uma grande quantidade de obras que hoje chamamos familiarmente de mandalas, foi através de C.G. Jung, que muito de sua atenção dispensou à cultura oriental (principalmente à filosofia chinesa), integrando alguns de seus elementos em seu trabalho, que obtivemos a "ocidentalização" da mandala.
Hoje vemos e reconhecemos mandalas em todos os lugares e situações e as utilizamos não só como elementos decorativos, mas também como ferramentas para fins energizadores e terapêuticos.
Embora na arte pictórica e arquitetônica ocidental exista, desde há muito tempo, uma grande quantidade de obras que hoje chamamos familiarmente de mandalas, foi através de C.G. Jung, que muito de sua atenção dispensou à cultura oriental (principalmente à filosofia chinesa), integrando alguns de seus elementos em seu trabalho, que obtivemos a "ocidentalização" da mandala. Hoje vemos e reconhecemos mandalas em todos os lugares e situações e as utilizamos não só como elementos decorativos, mas também como ferramentas para fins energizadores e terapêuticos.


RECONHECENDO UMA MANDALA


Oriental ou ocidental, a mandala é tradicionalmente uma imagem circular composta de formas, símbolos e cores variados numa disposição tal, que os olhos acabam sempre convergindo para seu centro. Isso significa que uma mandala não precisa necessariamente ser construída em uma base circular. Geralmente o círculo (mandala) é inserido em um fundo quadrado ou retangular, com outras imagens (ou não), que acaba por se integrar a ela. O que caracteriza uma imagem como Mandala é a sua propriedade em fazer o olhar percorrê-la circularmente da periferia para o centro e vice-versa.

De: Josana Camilo

24 de agosto de 2012

MANDALA - ALGUNS RISCOS PARA COLORIR

OLHA VI QUE O OUTRO POST QUE COLOQUEI DE RISCOS DE MANDALAS ESTA SEMPRE SENDO VISITADO ENTÃO AI VAI MAIS ALGUNS RISCOS ESPERO QUE GOSTEM BEIJOS.
E SE FIZERAM ALGUM DESSE ME MOSTRA... BEIJOKAS

























1 de junho de 2012

MANDALA - O QUE É MANDALA

MANDALA

Josana Camilo - Oficinadaalma.com.br


Cada pessoa vê, sente e as avalia cores, formas e símbolos de maneira muito particular. 
Uma cor agradável para uma pode ser desagradável para outra e uma mesma forma ou símbolo, mesmo evocando idéias e sentimentos semelhantes para uma maioria, também acaba por despertar idéias e sentimentos muito pessoais. 
Portanto, criar uma mandala é, antes de tudo, um exercício de sensibilidade. 
Não há uma receita específica e não importa quão vasto seja o conhecimento dos significados de cores, formas e símbolos; sem a sensibilidade não há como selecionar os melhores ingredientes (entre tantos) e suas adequadas proporções.
Partindo deste princípio, a proposta desta apostila é oferecer algumas informações e sugestões para que você possa exercitar-se e criar suas próprias mandalas. 
O toque mágico fica ao encargo da sua sensibilidade.

O QUÉ MANDALA

Mandala (substantivo masculino) é uma palavra em sânscrito e significa círculo. 
Transformou-se em "círculo sagrado" através da arte religiosa oriental (Hinduísmo e Budismo) que o investiu de significação simbólica e poder mágico e espiritual.
As mandalas orientais são confeccionadas de forma ritualística e tem como elementos imagens representativas das forças criadoras do universo. 
No Budismo Tibetano os monges utilizam técnicas para sua construção que envolvem desde a memorização de textos, cálculos e proporções até a organização de seus elementos.
Embora na arte pictórica e arquitetônica ocidental exista, desde há muito tempo, uma grande quantidade de obras que hoje chamamos familiarmente de mandalas, foi através de C.G. Jung, que muito de sua atenção dispensou à cultura oriental (principalmente à filosofia chinesa), integrando alguns de seus elementos em seu trabalho, que obtivemos a "ocidentalização" da mandala.
Hoje vemos e reconhecemos mandalas em todos os lugares e situações e as utilizamos não só como elementos decorativos, mas também como ferramentas para fins energizadores e terapêuticos.
Embora na arte pictórica e arquitetônica ocidental exista, desde há muito tempo, uma grande quantidade de obras que hoje chamamos familiarmente de mandalas, foi através de C.G. Jung, que muito de sua atenção dispensou à cultura oriental (principalmente à filosofia chinesa), integrando alguns de seus elementos em seu trabalho, que obtivemos a "ocidentalização" da mandala. 
Hoje vemos e reconhecemos mandalas em todos os lugares e situações e as utilizamos não só como elementos decorativos, mas também como ferramentas para fins energizadores e terapêuticos. 


RECONHECENDO UMA MANDALA

Oriental ou ocidental, a mandala é tradicionalmente uma imagem circular composta de formas, símbolos e cores variados numa disposição tal, que os olhos acabam sempre convergindo para seu centro.
Isso significa que uma mandala não precisa necessariamente ser construída em uma base circular. Geralmente o círculo (mandala) é inserido em um fundo quadrado ou retangular, com outras imagens (ou não), que acaba por se integrar a ela. 
O que caracteriza uma imagem como Mandala é a sua propriedade em fazer o olhar percorrê-la circularmente da periferia para o centro e vice-versa.

MANDALA - RISCOS VAMOS COLORIR